CMPC – Conselho Missionário Pastoral Comunidade


 

O que é um Conselho Missionário Pastoral?

O Conselho Missionário Pastoral é um organismo representativo de toda a Comunidade, Matriz e Capelas, que se identifica pelo anúncio, pela oração, reflexão, planejamento e execução da caminhada da Comunidade.

Sua principal missão é levar a Comunidade Paroquial ao crescimento da vida cristã, a partir das decisões tomadas na Assembleia Paroquial. É um grupo de pessoas que assume, junto com o(s) padre(s), a condução da missão permanente e do cuidado pastoral da Comunidade.

Em cada Paróquia de nossa Diocese existem dois Conselhos Pastorais: o Conselho Missionário Pastoral da Comunidade (CMPC). Também a Matriz deverá ter o seu próprio Conselho Missionário de Comunidade (CMPC). A Igreja Matriz é mais uma comunidade que existe na Paróquia e todas as outras Comunidades (capelas) são tão importantes quanto ela, e têm os mesmos direitos e deveres. Não é correto pensar que quem deve organizar, dirigir e decidir a vida da Paróquia é o CMPC da Igreja Matriz.

Todo Conselho é missionário e pastoral. Sendo Pastoral o Conselho preocupa-se em organizar melhor e fortalecer a vida paroquial já existente e sendo missionário sai ao encontro dos afastados e dos “que ainda não creem em Cristo no espaço de seu próprio território” (Cf Doc. Aparecida, 168).

O Papa Francisco nos diz: “Espero que todas as comunidades se esforcem por atuar os meios necessários para avançar no caminho de uma conversão pastoral e missionária, que não podem deixar as coisas como estão. Neste momento não nos serve uma simples Administração. Constituamo-nos em ‘estado permanente de missão’ em todas as regiões da terra” Evangelii Gaudium, 25).

Qual é a importância de um Conselho Missionário Pastoral de Comunidade (CMPC)?

Dizem que a pessoa mais sábia do mundo é aquela que, com humildade, afirma que não sabe tudo e que, quanto mais aprende, mais certeza tem de que precisa aprender mais. Na Igreja de Jesus, reunida pelo Espírito Santo, cada um recebeu um dom para colocá-lo a serviço e para o bem de todos. É por isso que o Conselho Missionário Pastoral de Comunidade (CMPC) é tão importante. É um sinal vivo de que a Comunidade é fiel a Jesus, pois não é uma pessoa sozinha quem a conduz como se soubesse tudo e pudesse fazer tudo. Através do CMPC todos os dons são valorizados e colocados a serviço do bem comum, tanto os dons espirituais como os dons materiais. Esse jeito de viver gera unidade e enriquece o trabalho que precisa ser feito.

Por que deve existir o Conselho Missionário Pastoral em todas as comunidades?

  1. Porque somos uma Igreja-comunhão, uma família reunida no amor de Jesus, pela ação do Espírito Santo. Na Igreja-comunhão, as alegrias e tristezas, os sucessos e os fracassos são compartilhados. No Conselho Missionário Pastoral está representada toda a Comunidade e, assim, todos têm voz e vez no trabalho de fazer crescer a Comunidade. Jesus mesmo garantiu sua presença entre nós quando estivéssemos reunidos em seu nome. (cf. Mt 18,20);
  2. Porque Jesus enviou seus discípulos para continuar sua missão. Ele é o Bom Pastor que conhece, conduz, ama e dá a vida pelas ovelhas. O Conselho Missionário Pastoral – é bom lembrar que pastoral vem de pastor – é o organismo que continua a fazer o que Jesus fez: conhecer, conduzir, amar e dar a vida pela Comunidade.

Quem deve fazer parte do CMPC?

Em sintonia com o Pároco, Vigários Paroquiais e com a caminhada da Diocese, devem fazer parte:

– Pároco e vigários paroquiais;

– Diácono(s) Permanente(s);

– Coordenador de cada Pastoral;

– Coordenador de cada Movimento Eclesial, com trabalho de expressão na Comunidade.

– Representante da Vida Consagrada, com trabalho de expressão na Comunidade;

– Coordenador e Tesoureiro da Equipe Executiva de Administração e Economia.

Por que os Coordenadores das Pastorais e Movimentos Eclesiais devem fazer parte do Conselho Missionário Pastoral de Comunidade?

Ao assumir tal missão, o Coordenador tenha presente que terá o compromisso de fazer parte do CMPC, contribuindo para o bom andamento de toda a Comunidade. Por isso, os Coordenadores são escolhidos entre os principais líderes das Comunidades e que tenham tempo disponível para estar a serviço.

Os Coordenadores das Pastorais e Movimentos Eclesiais podem mandar representantes nas reuniões dos Conselhos?

Não. Outra pessoa não teria voz ativa e, portanto, não representaria adequadamente a sua Pastoral ou Movimento Eclesial. Caso já esteja sobrecarregado, e não disponha de tempo ou condições, não deverá assumir tal missão. Se por motivo sério um Coordenador não estiver presente, deverá, depois da reunião, tomar conhecimento das decisões tomadas para repassar aos membros que representa, pois as definições devem ser assumidas por todos.

Fonte: Paróquia Senhor Bom Jesus


Coordenação: