História


Paróquia de Araucária
A HISTÓRIA

Criação da Paróquia: O primeiro templo levantado em Araucária, então chamada de Freguesia do Iguassu, foi a Capela de Nossa Senhora da Luz de Tindiquera, a cerca de meia légua de distância da Matriz de hoje. Esta capela foi benta aos 12 de setembro de 1832, pelo Padre Antônio Joaquim da Costa com autorização do bispo de São Paulo, Dom Manoel Joaquim Gonçalves de Andrade, por provisão do mesmo prelado, passou a capela curada a 1 de dezembro de 1837.

Aos 20 de março de 1848 o vigário capitular, Padre Vicente Pires da Motta, por provisão da mesma data, transferia a sede do Curato da Capela Nossa Senhora da Luz para a de Nossa Senhora dos Remédios do Iguassu. O curato foi elevado canônicamente à categoria de Paróquia, por lei provincial nº 21 de 28 de fevereiro de 1858 (Livro do tombo de Araucária, I e II, pgs. 6 – 8).

Primeira Visita Pastoral: Foi Dom Lino Deodato Rodrigues de Carvalho, bispo de São Paulo, a quem pertencia naquele tempo a Província do Paraná, que realizou em fevereiro de 1882 a primeira visita pastoral à paróquia de Araucária, registrando no Livro do Tombo suas impressões e observações. ” A paróquia diz ele, era populosa e dada ao trabalho”, e em seguida ” a igreja tinha duas partes; uma nova de material (capela mor) e outra antiga de madeira e barro; a Matriz era muito pobre e faltavam muitos paramentos e coisas do serviço local da Igreja”. O zeloso Prelado crismou naquela visita pastoral, 2.675 pessoas.

As primeiras divisas paroquiais delineadas entre Araucária, São José dos Pinhais e Vila do Príncipe (Santo Antônio da Lapa), foi trabalho do Vigário Capitular de São Paulo, Paulo Joaquim Manoel Gonçalves de Andrade, aos 5 de dezembro de 1870 (Livro Tombo I e II, pg. 79 e 80), os limites paroquiais seguiam os municipais.

A população da paróquia era pouco numerosa, pois em 1899, havia só 14 famílias na Vila. Aumentou a imigração polonesa, quando se estabeleceram 1.274 emigrantes poloneses em Tomaz Coelho que pertencia a Araucária. Fomaram-se depois as colônias: Barão de Taunay, Campina da Pedras, Campestre, Taquarova, Guajuvira, Ipiranga e Palmital.

Dom Lino Deodoro de Carvalho, bispo de São Paulo, visitava em fevereiro de 1882 a paróquia de Araucária e atendendo o pedido da colônia polonesa, concedeu mais tarde, à 23 de março de 1886, licença para a construção da Capela de Nossa Senhora das Dores na Colônia Tomaz Coelho, designando-lhe um Capelão Polonês.

Aos 9 de setembro de 1898, Dom José Camargo de Barros, primeiro bispo de Curitiba, criou mais um Curato para os poloneses com sede na Capela de São Miguel em Tomaz Coelho, que, aos 15 de dezembro de 1936, foi elevado a Paróquia por Dom Attico Euzébio da Rocha.

Em 1921, Dom João Francisco de Braga, bispo diocesano, criou a Paróquia de Contenda e em 1941, Dom Attico Euzébio da Rocha a Paróquia de Catanduvas, com desmembramento, em parte, de Araucária.

Associações Religiosas: A primeira associação religiosa em Araucária era uma irmandade da Oração, de que nos fala o Livro do Tombo (I-II, p. 87); devia zelar pela Igreja e o patrimônio da Paróquia.
A irmandade do Rosário organizada em 1905, conta com 300 membros; o Apostolado da Oração, fundado em 1922, tem 90 membros; Existem além disto: a Pia União, com 100 filhas de Maria; a Congregação Mariana, com 45 membros; a Cruzada Eucarística Infantil, com 125 membros; a Congregação da Doutrina Cristã (1955), com 30 catequistas para o catecismo às crianças e aos emigrantes japoneses e associação domiciliária com 120 famílias.

Vigários: O primeiro sacerdote que residiu em Araucária e exerceu o ministério paroquial foi o Padre Manoel José Cabesas de Castro. Já em Julho de 1844, encontramos nos livros de Batizados de Araucária a sua assinatura, como “cura” ou “pró-pároco”. O seu sucessor, Padre Isaias Ribeiro de Andrade, no ano de 1857 assinava-se como ”vigário-interino”. O primeiro vigário encomendado foi o Padre Briagio Grassano, tendo chegado em 1860.
Devido à falta de clero, nem sempre era contínuo o ministério paroquial. Durante as vacâncias, atendiam os padres das freguesias vizinhas: de Curitiba ou São José dos Pinhais.
O Padre João Guerra, vigário encomendado, de 1867-1873, começou a construção da nova igreja matriz, mais tarde reconstruída pelo Padre Francisco José Soja e terminada pelo Padre José Anusz. O seu sucesso, Monsenhor José Noch, realizou melhoramentos na Matriz (caiação, calçada, ladrilhos, bancos).

Em 1942, o Arcebispo Metropolitano, Dom Attico Eusébio da Rocha entregou o ministério da paróquia à Congregação da Missão de São Vicente de Paulo, sendo nomeado vigário encomendado o Padre Afonso Paszkiewicz, CM. Graças ao zelo deste, a Matriz recebeu novos sinos, harmônio, pintura externa da igreja e nova pia batismal. Foi também o Padre Afonso que comprou o terreno e construiu nele uma ampla casa canônica, aparelhando-a convenientemente.

A construção da nova Igreja Matriz: Construída no final do século passado, além de apresentar perigosas rachaduras nas paredes era muito pequena. A construção da nova, ampla, no estilo renascença, foi iniciada em Abril de 1954 pelo Padre João Palka, CM. Graças à ajuda dos padres do Seminário de São Vicente de Paulo, o serviço religioso tanto na cidade como nas capelas foi amplamente aumentado.

INSTITUIÇÕES

Seminário Menor São Vicente de Paulo, fundado em 1954, com 70 alunos, sob a direção de 5 padres. Possui a capela semi-pública acessível a todos que procuram cumprir seus deveres religiosos.

Instituto do Sagrado Coração de Jesus, as irmãs da caridade dedicando-se ao ensino de Araucária desde 1928, construíram modelar escola primária.

Hospital São Vicente de Paulo, fundado em 5 de novembro de 1945, sob o patrocínio da Companha São Patrício, administrado pelas irmãs da caridade, presta grande serviço hospitalares à população da cidade e das colônias vizinhas.

Rádio Cambijú de Araucária (Hoje Rádio Iguassu), com a Hora da Ave Maria desde 1952 e recitação do terço em família, um centro de irradiação religiosa.

POPULAÇÃO

Araucária contava com 1.700 famílias atingindo a população de 8.500 habitantes.
Extensão: 330 km²
Vigário: Padre Francisco Wierzba, CM
Criação da Paróquia: 28 de fevereiro de 1858
Orago: Nossa Senhora dos Remédios
Capelas: São 9, a saber: Campestre, Guajuvira, Espigão Alto, Mato Dentro, Costeira, Tietê, Campo Redondo, Estação e Capela do Seminário.
Movimentos religiosos em 1956: batizados: 333; casamentos: 59; comunhões: 21.574; primeiras comunhões: 189; extremas unções: 35; óbitos registrados: 29.

VOCAÇÕES SACERDOTAIS

I. Padre Saviniano Gonçalves Ferreira
II. Padre Eduardo Bassil
III. Padre Luiz Bassil
IV. Frei Fausto Pereira de Souza
V. Freio Otavio de Araucária (Cantele)

 

Informações retiradas do Livro: A ARQVIDIOCESE DE CVRITIBA E SVA HISTÓRIA
Ano de 1956

Cronologia de Nossa Senhora dos Remédios em Araucária

A paróquia de Nossa Senhora dos Remédios de Araucária, é a 5ª mais antiga do Brasil, com este título. Criada oficialmente em 28/02/1855.

No ano de 1793, surge à primeira capelinha em honra a Nossa Senhora da Luz de Tindiquera, em Araucária. Em 1837, ela recebe o título de Capela Curada. E no dia 20/03/1842, a capela passa a se chamar Nossa Senhora dos Remédios de Yguassu.

O primeiro sacerdote a residir em Araucária, em 1844, foi o padre espanhol, Pe. Manoel José Cabesas de Castro.

No dia 28/02/1855, ocorre a criação oficial da Paróquia Nossa Senhora dos Remédios de Yguassu, sendo o primeiro vigário interino o Pe. Isaías Ribeiro de Andrade e Silva.

Em 1867, há o inicio da segunda reconstrução da igreja, por intermédio do padre João Guerra. Foi concluída em 1903, já na gestão do padre José Anusz e do seu sucessor, Monsenhor José Norch.

Em 1882, acontece a Primeira Crisma, com a primeira visita Pastoral de D. Lino Deodato Rodrigues de Carvalho (09º) Bispo de São Paulo à Araucária.

No período de 1891 a 1904, o padre polonês, Pe. Francisco José Soja é nomeado vigário para atender a colônia polonesa, dando inicio há terceira reconstrução da Igreja.

A realização da primeira festa de Nossa Senhora dos Remédios ocorreu no dia 22/10/1904.

No dia 11/06/1941, há a concessão da Paróquia Nossa Senhora dos Remédios aos padres Vicentinos – Congregação da Missão, e posse do primeiro Vigário Pe. Afonso Paszkiewicz, C. M (1941 – 1951). Em 1942, com o padre Afonso Paszkiewicz, a matriz recebeu novos sinos para a torre, harmônio de dois teclados, pintura externa e nova pia batismal. Mais tarde, ainda na sua gestão, foi construída uma ampla casa paroquial.

É sabido que em 1953, foi aprovada à Lei n. 135, que criava o dia da Padroeira e, também, o feriado municipal de Nossa Senhora dos Remédios.

Em 1954, o Padre João Palka, C. M, inicia a quarta reconstrução da Igreja Matriz, que é concluída pelo padre Francisco Wierzba, C. M, em 1959; sendo está a última grande obra que traz as características arquitetônicas do templo atual.

Segundo o Sr. Alexandre Mikosz, pedreiro que participou da construção da atual Igreja Matriz, a obra levou 12 anos para ser concluída, levando-se em conta todo o acabamento.

Em 10/08/2007, através da Lei 1.752/2007, o dia 30 de outubro é decretado feriado municipal, em louvor a Nossa Senhora dos Remédios, Padroeira do Município de Araucária, Paraná. A referida Lei foi sancionada pelo Prefeito Olizandro José Ferreira (Diário Oficial n° 7540/2007)

Em 27/05/2011, a Paróquia Nossa Senhora dos Remédios foi declarada de utilidade pública através daLei 2.340/2011, publicada no Diário Oficial do Município de Araucária. A referida Lei foi sancionada pelo Prefeito Albanor José Ferreira Gomes (Diário Oficial n° 1553/2011).

A elevação canônica de Paróquia para o título de Santuário foi no dia 29 de Outubro de 2014 (107ª Festa da Padroeira) por Dom Ladislau Biernaski, bispo diocesano, no nono ano do pontificado do Papa Bento XVI na administração pastoral do Padre Francisco Mazur, C.M.

Uma grande reforma geral na estrutura da Igreja foi feita nos anos de 2014 à 2015, como troca do telhado e uma ampla reforma interna, tal como a construção do altar-mor da Igreja. O Santuário foi reaberto no dia 25 de Outubro de 2015 à comunidade após 4 meses de obras na administração pastoral do Padre Antonio Carlos Iancoski Portes, C.M.

Confiram algumas fotos do Santuário:
Fotos: Gregory Estevam de Macedo (PASCOM)

A Imagem

 

 

A imagem de Nossa Senhora dos Remédios que está em Araucária é de madeira, tem 27 cm de altura, e mostra a Virgem Maria com o Menino Jesus no braço esquerdo e, o cálice, na mão direita.

 

 

 

 

 


Histórico de Padres

Padre Manoel José Cabesas de Castro (1844 atè 1850)
Padre Isaías Ribeiro de Andrade e Silva (1851)
Padre Emanuel de Lodi (1852)
Padre João Alves de Sá Sotto Maior e Araújo (1852)
Padre João Batista Ferreira Bello (1853)
Padre Agostinho Machado de Lima (1856)
Padre Isaías Ribeiro de Andrade e Silva (1857)
Padre Francisco Xavier Pimenta (1858)
Padre Gabriel Anunciada de Oliveira (De 1858 até 1859)
Padre Briaggio Grassano (1860)
Padre Manoel de Campos Garcia de Abranches Pereira das Dores (De 1861 até 1864)
Padre João Batista Ferreira Bello (De 1864 até 1866)
Padre João Guerra (De 1867 até 1873)
Padre Francisco José Correa de Bittencourt (1873)
Padre Antônio Vicente da Cruz
Padre Afonso Laino (De 1874 até 1875)
Padre Francisco José Correa de Bittencourt (De 1875 até 1876)
Padre José Rosa (De 1877 até 1878)
Padre Francisco José Correa de Bittencourt (De 1879 até 1880)
Padre Mariano Gizynski (De 1880 até 1881)
Padre José Bilbao (De 1881 até 1886)
Padre Ludovico José Przytarski (De 1886 até 1887)
Padre Anibal Giataroni (De 1888 até 1889)
Padre Alberto José Gonçalves (De 1889 até 1891)
Padre Francisco José Soja (De 1891 até 1904))
Padre José Anusz (De 1904 até 1916)
Padre José Noch (De 1916 até 1942

Párocos pela Congregação da Missão Província do Sul

Padre Afonso Paszkiewicz (De 1941 até 1951)
Padre Tadeu Dziedzic (De 1951 até 1954)
Padre João Palka (De 1954 até 1956)
Padre Francisco Wiersba (De 1956 até 1961)
Padre João Palka (De 1961 até 1965)
Padre Paulo Paszyna (De 1965 até 1970)
Padre Lourenço Biernaski (1970)
Padre Félix Stefanowicz (De 1970 até 1973)
Padre André Kaminski1 (De 1973 até 1974)
Padre Euzébio Spisla (De 1975 até 1980)
Padre Pedro Speri (De 1980 até 1983)
Padre Mário Andrzyewski  (De 1983 até 1984)
Padre Valentim Szychta (1985)
Padre Eugênio José Wisniewski (De 1985 até 1987)
Padre Geraldo Valenga (De 1987 até 1989)
Padre Mizael Pugioli (De 1989 até 1991)
Padre João Novak (De 1991 até 1993)
Padre Aldo Seidel (De 1993 até 2004)
Padre José Carlos Fonsatti (De 2004 até 2005)
Padre Francisco Mazur (De 2005 até 2013)
Padre Albino Czanovski (2013)
Padre Antonio Carlos Iancoski Portes (2013 até 2019)
Padre Euzébio Spisla (2019… Atual)

Padres que atuaram neste Santuário como Vigário-Paroquial

Padre Leopoldo Klemba
Padre Lourenço Mika
Padre Marco Aurélio Soares da Costa
Padre Antonio Carlos Iancoski Portes
Padre Eliseu Wisniewski
Padre Albino Czanovski
Padre Stanislaw Slowik (2016 até 2019)
Padre Eder Fabrício Lourenço (2017)
Padre Leocádio Zytkowski (2018 até 2019)
Padre Eugênio José Wisniewski (2019…Atual)


Histórico de Bispado

Dom José Francisco Braga (1926 a 1935 – Arcebispo Metropolitano de Curitiba) in memorian
Dom Ático Eusébio da Rocha (1935 a 1950 – Arcebispo Metropolitano de Curitiba) in memorian
Dom Manuel da Silveira D’Elboux (1950 a 1970 – Arcebispo Metropolitano de Curitiba) in memorian
Dom Inácio Krause (1961 a 1966 – Bispo Auxiliar de Curitiba) in memorian
Dom Pedro Antonio Marchetti Fedalto (1973 – Arcebispo Metropolitano de Curitiba) Arcebispo emérito de Curitiba
Dom Domingos Gabriel Wisniewski (1977) in memorian
Dom Ladislau Biernaski (1979 – Bispo Auxiliar de Curitiba) in memorian
Dom Izidoro Kosinski (2001 – Bixpo Auxiliar nas Celebrações do Crisma) in memorian
Dom Moacyr José Vitti (2004 a 2006 – Arcebispo Metropolitano de Curitiba) in memorian

Criação da Diocese de São José dos Pinhais

Dom Ladislau Biernaski (2006 a 2012 – Bispo Diocesano de São José dos Pinhais) in memorian
Dom Francisco Carlos Bach (2012 a 2017 – Bispo Diocesano de São José dos Pinhais) Transf. Diocese Joinville
Dom Celso Antônio Marchiori (2017…) – Bispo atual